Banca salvou PS da falência certa

Banca salvou PS da falência certa

1 2994

Digam lá quem é amiguinho, quem é? O Partido Socialista, que há dois anos estava à beira da bancarrota, já “só” deve 20,7 milhões de euros aos credores, graças a uma “renegociação da dívida” feita por Luís Patrão, ex-chefe de gabinete de José Sócrates e hoje o homem-forte do cofre socialista.

Deram há dias entrada na Entidade das Contas e Financiamentos Políticos do Tribunal Constitucional as mais recentes informações sobre a vida financeira do Partido Socialista. Sem querer entrar em detalhes, o secretário nacional para a organização do PS e responsável pelas contas do partido no poder, Luís Patrão, confirmou à imprensa que o PS está “a reduzir o défice” e que terminou o exercício de 2016 com “resultado positivo”.

É modéstia de Patrão, seguramente, pois o que este ex-chefe de gabinete do conterrâneo covilhanense José Sócrates Pinto de Sousa (e, antes disso, do fundanense António Guterres) conseguiu em dois anos foi um verdadeiro “milagre financeiro” para os cofres do PS.

Como O DIABO oportunamente referiu, o Partido Socialista encontrava-se numa situação financeira deplorável quando, em 2015, ao fim de alguns anos na oposição, voltou a perder as eleições legislativas. À sua frente tinha dois caminhos: ou aceitava os resultados e eternizava a sua posição subalterna longe do aparelho do Estado, sem cargos ou benesses para oferecer a camaradas e amigos, condenado a uma bancarrota mais do que certa; ou…

  • Leia este artigo na íntegra na edição impressa desta semana.
  • Leão Detroll

    Os Suínos Lambões de Bosta (SLB) vão roncar de desgosto com a prisão do orelhas e despromoção do Boifica !!