Brasil dividido com economia em queda

 

ODIABO300x100

 

Enquanto se aguarda que o Supremo decida a sorte de Lula da Silva, as autoridades brasileiras continuam a investigar as ligações perigosas entre o poder político e o dinheiro da corrupção. Nem a actual Presidente escapa ao escrutínio judicial. 

No maior país do Mundo Lusófono assiste-se com preocupação à degradação da vida política. A recente indiciação do ex-Presidente Lula da Silva por eventuais actos ilícitos, no âmbito do processo “Lava Jato”, teve um desenvolvimento insólito: a sua nomeação, pela Presidente Dilma Rousseff, para ministro da Casa Civil (função correspondente a primeiro-ministro, o que lhe assegura automática imunidade face à Justiça). As reacções de desagrado face a esta nomeação não se fizeram esperar e os resultados internos e externos desta atitude da Presidente, e do ex-Presidente, são ainda incertos.

Depois de uma semana em que Lula foi nomeado e desnomeado pelos tribunais e aplaudido e vaiado nas ruas, o caso será decidido pelo Supremo Tribunal Federal até ao final do mês. Desde já, no plano ético e no plano político ficam a nu atitudes altamente reprováveis, ainda por cima de quem se arvorava em “poder moral” da Nação-Irmã. Resta saber como é que a Instituição Militar e os partidos da oposição irão actuar face a estes factos e face à crescente contestação das ruas ao actual Governo. Mas também as contra-manifestações dos apoiantes de Dilma e Lula, organizadas pelas centrais sindicais, tiveram uma expressiva adesão.

  • Leia este artigo na íntegra na edição impressa desta semana.

[/td_text_with_title]

  • Leão Detroll

    Aposto que o Salgado, o Sócrates, o Putin e a Dilma estão envolvidos em um esquema de lavagem de dinheiro a nível mundial !!!

    FORTUNE.COM/2016/04/03/document-leak-panama/

    EN.KREMLIN.RU/events/president/news/40082