As “bandeiras azuis” e os galardões da Quercus ultrapassaram este ano as médias de 2015, fazendo prever uma época balnear de grande nível – na gestão ambiental, nos serviços e segurança dos utentes e na qualidade da água. Boas férias! 

A Quercus voltou a atribuir a classificação de “Praias com Qualidade de Ouro” às zonas balneares do País cujas águas apresentam melhores resultados em termos de qualidade. Este ano, foram distinguidas 382 praias com “Qualidade de Ouro”, das quais 338 em zonas balneares costeiras, 36 em zonas interiores e oito em zonas de transição – anunciou aquela associação ambientalista.

O número de praias distinguidas este ano supera em 68 o número de 2015. Do total das 382 praias com “Qualidade de Ouro”, 321 situam-se em Portugal continental, 41 na Região Autónoma dos Açores e 20 na Região Autónoma da Madeira.

O concelho com maior número de praias com “Qualidade de Ouro” é Albufeira (22 zonas balneares), seguido de Vila Nova de Gaia (18 zonas balneares), Almada (16 zonas balneares), Torres Vedras e Vila do Bispo (12 zonas balneares).

Em comparação com o ano 2015, perdem o galardão duas praias fluviais e três costeiras, sendo de realçar as praias de D. Ana, em Lagos, e da Leirosa, na Figueira da Foz, uma vez que a partir deste ano passou a ser igualmente ponderada, na atribuição do galardão, a prática de eventuais atentados ambientais ou paisagísticos nas praias.

Critérios

Para receber a classificação de praia com “Qualidade de Ouro”, a água balnear das praias tem de respeitar os seguintes critérios: qualidade da água com classificação de “excelente” nas cinco últimas épocas balneares de 2011 a 2015; todas as análises realizadas, sem excepção, na época balnear anterior deverão ter apresentado resultados melhores do que os valores definidos para o percentil 95 do anexo I da Directiva relativa às águas balneares (ou seja: para águas costeiras e de transição, todas as análises deverão apresentar valores inferiores a 100 ufc/100ml para os Enterococos intestinais e inferiores a 250ufc/100ml para Escherichia coli, e para águas interiores 200 ufc/100ml e 500 ufc/100ml, respectivamente).

Esta avaliação efectuada pela Quercus é mais limitada, em comparação com os múltiplos critérios para atribuição da Bandeira Azul, ao basear-se apenas na qualidade da água das praias, sendo contudo mais exigente neste aspecto específico, para além de incluir todas as águas balneares, não envolvendo qualquer processo de candidatura.

O objectivo da Quercus é realçar as praias que ao longo de vários anos (cinco) apresentam sistematicamente uma água balnear de qualidade excelente (tendo em conta a classificação da legislação em vigor). Fora desta lista ficam as águas balneares cuja classificação abranja menos de cinco anos e aquelas que só mais recentemente viram resolvidos os seus problemas de poluição ou onde se tenha verificado na última época balnear uma qualquer análise de qualidade inferior à estabelecida como mínimo pela Quercus.

De Norte a Sul

Entre as praias distinguidas com “ouro” no Algarve, destino de férias para muitos portugueses, encontram-se as de Arrifes, Castelo, Galé, Oura, Maria Luísa, Salgados ou Santa Eulália (no concelho de Albufeira) e ainda Carvalho e Senhora da Rocha, Ancão, Quarteira, Quinta do Lago e Vale de Lobo (nos concelhos de Lagoa e Loulé). No extremo Barlavento, o destaque vai para as praias de Boca do Rio, Burgau, Castelejo, Cordoama, Ingrina, Mareta e Martinhal.

Na Costa Alentejana, recomendam-se as águas das praias do Carvalhal, Comporta, Galé-Fontainhas e Melides, enquanto em Tróia, na Península de Setúbal, se distinguem o Bico das Lulas, Galé e Mar. Do outro lado do Sado, em Setúbal, refiram-se as excelentes praias de Albarquel, Figueirinha, Galapos e Portinho da Arrábida.

A zona da Grande Lisboa está igualmente bem servida com praias de excelência: na Linha de Cascais, destaque para o Abano, Avencas, Carcavelos, Guincho, São Pedro do Estoril e Tamariz. Na Outra Banda, as praias do Castelo, Santo António, Fonte da Telha, Rainha, Rei, Riviera e São João da Caparica.

Mais a Norte, a costa de Torres Vedras conta doze praias de excelência, entre elas Amanhã, Centro, Física e Mirante (todas em Santa Cruz), Formosa, Navio, Porto Novo e Santa Helena.

Destaques em Gaia: Francelos, Aguda, Madalena, Miramar e Salgueiros. E em Matosinhos: Aterro, Leça da Palmeira, Pedras Brancas e Senhora Boa Nova. No concelho de Viana do Castelo, destacam-se pela sua excelência as praias de Afife, Amorosa e Carreço. Por fim, quanto às muitas praias de águas interiores, a Quercus distinguiu os concelhos de Arganil, Macedo de Cavaleiros, Pampilhosa da Serra, Tomar, Vila de Rei e Vinhais.

Bandeira azul

A Associação Bandeira Azul da Europa distinguiu este ano 314 praias portuguesas do Continente, Açores e Madeira – mais 15 do que no ano passado. Pela primeira vez nos registos da associação, foi ultrapassada em Portugal a marca das 300 praias com qualidade certificada. O galardão foi igualmente outorgado a 17 marinas (mais duas do que em 2015).

A Bandeira Azul é um galardão ambiental atribuído anualmente às praias, marinas e portos de recreio que cumpram um conjunto de critérios de gestão ambiental, educação ambiental, informação, qualidade da água balnear, serviços e segurança dos utentes. Em Portugal, o galardão é atribuído pela Associação Bandeira Azul da Europa (ABAE), secção portuguesa da Foundation for Environmental Education (FEE), e conta com o apoio técnico da Agência Portuguesa do Ambiente (APA), entre outras entidades públicas e privadas com responsabilidades na gestão das praias, marinas e portos de recreio.

O anúncio das praias com bandeira azul para a época balnear de 2016 foi feito no Salão Almada Negreiros na Gare Marítima da Rocha, em Alcântara, em Lisboa, pela direcção da ABAE. A associação comemora este ano o 30º aniversário do Programa Bandeira Azul com o lançamento de um livro comemorativo e o reforço dos projectos “Praia Saudável” e “Programa Nacional de Vigilância”, apoiados pela Fundação Vodafone e pelo Oceanário de Lisboa.

A Praia de Mira, no distrito de Coimbra, é a “campeã mundial” de bandeiras azuis: o galardão é-lhe entregue há 29 anos consecutivos, desde que em 1987 foi instituído pela Foundation for Environmental Education, com sede em Copenhaga. Este ano com 314 praias distinguidas, Portugal é o quinto país com mais galardões conferidos, entre os 54 países que os atribuem. Com melhor ‘score’ figuram apenas a Espanha (578), a Turquia (436), a Grécia (395) e a França (379).

A época balnear nacional abriu oficialmente no passado dia 1 de Maio, mas só a partir de 1 de Junho os concessionários das praias estão obrigados a cumprir todos os requisitos de equipamento e segurança inerentes à concessão. As primeiras bandeiras azuis de 2016 serão hasteadas nos próximos dias 1 de Junho no concelho de Mafra, 3 de Junho em Sines e 17 de Junho em Góis.

SIMILAR ARTICLES