dbDUARTE BRANQUINHO

Inês Ribeiro e Raquel Policarpo são duas jovens arqueólogas que em 2011 fundaram a agência de animação turística Time Travellers. publicaram recentemente o livro “segredos de Lisboa”, que revela alguns dos vestígios surpreendentes que estão debaixo das ruas da capital. O DIABO fez um passeio guiado por elas e descobriu alguns.

O encontro foi na Sé de Lisboa, local para o qual já foi aprovado um plano de musealização das escavações arqueológicas. Inês Ribeiro começa por apontar as ruínas que se pensam ser da mesquita que as referências históricas dizem que aqui existiu. Não há certezas e estes podem também ser os vestígios do templo moçárabe que a crónica da conquista de Lisboa, escrita pelo cruzado Osberno, situa perto da mesquita. Ainda visíveis estão também as bases romanas aproveitadas para suportar os edifícios islâmicos. No local nasceu um dos mais belos edifícios da capital, uma catedral românico-gótica.

De seguida, Raquel Policarpo recorda-nos que o terramoto de 1755 destruiu parte da Sé, do qual ainda há marcas do incêndio, e diz que nem só os edifícios foram destruídos, também se perdeu muito do recheio, bibliotecas, obras de arte, entre outras peças.

  • Leia este artigo na íntegra na edição impressa desta semana.

ARTIGOS SIMILARES