ARTIGOS RECENTES

0 152
Morreu na cama, sem ter sido julgado no seu país, o tirano Fidel Castro, homem que governou com mão de ferro a ilha de...

3 866
O Executivo de António Costa está a preparar as eleições autárquicas com várias medidas eleitoralistas que vão cair em cima da ida às urnas. Do aumento das pensões à promessa de novas admissões na Função Pública pela integração de precários, passando pelo subsídio de refeição dos funcionários públicos, o Governo da geringonça concentrou tudo no período eleitoral.

0 1966
Para muitos portugueses, o dia da Restauração é um dia fundamental para a Nacionalidade. Para outros, é pouco mais do que um feriado. E dir-se-ia que a maioria nem sabe o que se celebra.

1 2589
Portugal não tem que agradecer nenhuma liberdade, nem nenhuma democracia ao 25 de Abril. O regime de terror estalinista que se seguiu – perseguições individuais, roubos, ocupações de terras, nacionalizações, prisões arbitrárias, exílio forçado de milhares de pessoas, assassinatos e julgamentos sumários realizados nos estabelecimentos de ensino, estabelecimentos militares e empresas, resultando sempre na “condenação” dos arguidos à pena de “saneamento” – só começou a ter fim em 25 de Novembro de 1975. Honremos os que deram a vida nesse dia em defesa de um Portugal independente.

0 368
A Assembleia da República e o Governo não têm legitimidade para legislar sobre a Língua Portuguesa, que agora é a Língua oficial de nove Estados soberanos, e não apenas de Portugal e do Brasil.

0 202
Música na missa? Desliguemos o rádio!

1 436
O verdadeiro folhetim em que se transformou o caso da não entrega das declarações de rendimentos ao Tribunal Constitucional por parte de António Domingues e da restante equipa de administradores da Caixa Geral de Depósitos (CGD) faz com que se esteja a atrasar o programa de recapitalização da instituição pública, e a protelar a recuperação do maior banco português.

1 1160
A ‘geringonça’ rejubila com as notícias de que Portugal foi o país da Zona Euro com maior crescimento económico. O que a comunicação social omite é que a economia está a crescer graças às políticas do anterior Governo, que deixaram uma “pesada herança” positiva nas exportações e no turismo. Entretanto, as promessas de Costa de “restituir rendimentos” e “virar a página da austeridade” revelaram-se largamente exageradas: Centeno enganou-se nas previsões “milagrosas”, o consumo continua negativo e a dívida pública não pára de subir em flecha…