Geopolítica para todos

Geopolítica para todos

0 447

Duarte Branquinho

Pascal Gauchon é um eminente geopolitólogo francês com provas dadas na sua carreira académica e numa extensa obra publicada. Este ano lançou a revista “Conflits”, que dirige, dedicada à Geopolítica em todas as suas vertentes, destinada ao grande público. Uma óptima notícia que se torna melhor pelo facto de a revista estar disponível nos quiosques portugueses.

Dizia Alain de Benoist, num opúsculo publicado em Portugal em 1978, pelas Edições do Templo, que a Geopolítica “é o ramo da ciência política que estuda a parte activa exercida pelo meio geográfico na determinação dos eventos políticos e históricos que afectem a população de um dado território. Por vezes tem sido chamada ‘geografia dinâmica’. Distingue-se ainda pela geografia política, uma vez que não trata somente da situação natural dos Estados e dos povos, mas também (e sobretudo) da maneira como essa situação natural influencia a sua formação e o seu destino”. Os anos passaram e esta disciplina entrou na moda, mas será que consegue escapar à superficialidade do imediatismo?

Felizmente, este é um dos objectivos desta nova revista, que consegue fazer uma reflexão de fundo sobre esta disciplina que permite ter um olhar sintético sobre o nosso mundo. Tal é o fundamento do “Manifesto para uma Geopolítica crítica” definido no primeiro número da “Conflits”. Uma revista que assenta em princípios sólidos e que não se destina apenas aos especialistas, mas também aos estudantes e ao público interessado e informado.

O segundo número, actualmente à venda, referente ao terceiro trimestre deste ano, tem como tema central “Os novos mercenários” e questiona se as sociedades militares privadas são os soldados da fortuna dos nossos dias. Num excelente ‘dossier’, podemos encontrar vários artigos sobre a origem e história dos mercenários, bem como sobre os actuais ‘contractors’, presentes na maioria das “operações de manutenção da paz”, e uma entrevista com o politólogo Georges-Henri Bricet des Vallons sobre o mercado da guerra no século XXI.

Destaque ainda para a entrevista com Lucio Caracciolo, fundador da “Limes”, a mais importante revista italiana sobre Geopolítica. Para além de um artigo sobre o Papa Francisco e a sua urbanidade, e um sobre os 800 anos da Batalha de Bouvines, podemos ainda ler vários artigos sobre os conflitos presentes, História, estratégia, actualidade e resenhas dos livros publicados.

ARTIGOS SIMILARES