Incêndios: a hora das labaredas políticas

Incêndios: a hora das labaredas políticas

0 405

EVA CABRAL

Com a temperatura atmosférica em queda e os incêndios a ficarem cada vez mais longe na memória e no interesse dos Media, chegou a hora das labaredas políticas.

Marcelo Rebelo de Sousa bem tentou utilizar a sua popularidade para pedir consensos. No terreno de operações, o País assiste a tudo, desde logo a diferentes organismos do MAI a guerrearem-se na praça pública num jogo do empurra algo infantil.

Mas, apesar de se estar ainda na hora do choque e do improviso, é estranho que ninguém pergunte que diligências foram feiras para encontrar os doze desaparecidos que ouvíamos nos balanços de hora a hora. Será que estão mortos, apanhados pelo fogo quando fugiram serra acima? Será que partiram para um cruzeiro para o Panamá? O bom-senso diz-nos que o mais provável é a primeira hipótese. Só que a hora é de adoptar o popular ditado: estão mortos e enterrados. Ou seja, vamos lá passar a outra, vamos viver a nossa vidinha pessoal e política, mesmo que estes doze portugueses sejam cadáveres abandonados insepultos na serra.

Mas voltemos ao consenso que o PR pediu. Pois é: não existe.

A Comissão técnica proposta pelo PSD avança sem PCP. Na apresentação da comissão, o líder parlamentar do PSD sustentou que estão criadas as condições para reunir um amplo consenso na constituição de uma comissão técnica e independente que avalie tudo o que envolveu os incêndios.

Esse consenso entre os grupos parlamentares excluirá no entanto o PCP, que expressou “discordância frontal e não subscreverá nem apoiará”.

Numa audição com bombeiros, Jerónimo garantiu que o partido irá recuperar várias iniciativas legislativas sobre floresta e incêndios, criticando a “varinha mágica” do Governo socialista com a sua reforma florestal.

E sobre a comissão técnica sugerida pelo PSD, o líder comunista considerou que não se irá agora “descobrir a pólvora”.

Já PEV e Bloco, apoiantes do Governo da geringonça, defendem uma responsabilização política, se ela existir, sobre o que se passou nos incêndios da semana passada no Centro do País.

  • Leia este artigo na íntegra na edição impressa desta semana.