Frio Como o Mármore

0
808

Frio como uma pedra de mármore. A ausência do líder do Executivo durante dias e dias em borba, tentando apenas chutar as culpas para quem quer que fosse, demonstra a total incapacidade de António Costa para mostrar empatia para com um outro ser humano.

Assim foi com todos os desastres e tragédias nacionais do tempo do seu mandato, de Pedrógão Grande à Madeira e a Borba. Assim foi na sua relação com José Sócrates, o “querido líder” de outros tempos que ele apenas visitou uma vez em Évora, numa tentativa de que os portugueses esquecessem que fora o seu braço direito no Governo.

Esta cobardia pessoal e política de António Costa fez com que o Executivo tivesse uma presença em Borba escandalosamente envergonhada após o colapso da pedreira, a 19 de Novembro, com os governantes sempre a dizerem que não tinham responsabilidade, e sem uma palavra para as vítimas e seus familiares.

Foi patético ver chegar a Borba o secretário de Estado da Proteção Civil, José Artur Neves, para afirmar que o Governo e o PM acompanham “a par e passo” as operações de socorro em Borba, após o colapso da estrada. “O Governo, com o responsável directo da Proteção Civil, aqui está, acompanhando também o primeiro-ministro a par e passo este processo, porque o informo permanentemente do desenrolar dos acontecimentos”, disse José Artur Neves.

  • Leia este artigo na íntegra na edição em papel desta semana já nas bancas