Agitação comunista com capa laboral

Agitação comunista com capa laboral

1 800

A greve nacional no sector da Saúde, que na última sexta-feira foi cumprida sob a batuta da CGTP, voltou a perturbar a vida dos hospitais públicos e a prejudicar directamente largos milhares de doentes. Mas o País sabe que os sindicatos comunistas apenas usam pretextos laborais para levar à rua a política de agitação e propaganda do PCP: a saúde dos portugueses é o que menos lhes interessa…

Dantes, nos tempos em que os comunistas portugueses usavam sem rebuço o léxico dos camaradas da União Soviética, o PCP falava abertamente em AGIT-PROP – um sector da sua organização responsável pelas acções de agitação e propaganda. Estes nomes feios já não caem bem na cultura pós-moderna em que o partido hoje pesca os seus votos e pretende cimentar a sua influência. Mas, sob capas diferentes, é isso que os funcionários do PCP continuam a fazer diariamente: agitação e propaganda, em nome de um projecto de ditadura política que engana cada vez menos portugueses.

Os mais valiosos tentáculos desta Hidra de Lerna são hoje os sindicatos da CGTP, uma “central” tão alinhada com o velho partido leninista que o seu líder, o ex-electricista Arménio Carlos, é ao mesmo tempo membro do Comité Central do PCP.

Não obtendo nas urnas democráticas os votos que gostaria de receber para subjugar Portugal “legalmente”, o PCP recorre à corriqueira AGIT-PROP para manter o País em permanente agitação e distúrbio. Nos últimos dias, após um longo período de jejum forçado a que se obrigaram para não perturbarem a “geringonça”, os controleiros da CGTP voltaram a ter trabalho: com o Governo do PS às turras com os seus apoiantes da extrema-esquerda, os sindicatos comunistas voltaram a ter luz verde para prejudicarem a vida de quem realmente trabalha.

  • Leia este artigo na íntegra na edição impressa desta semana.
  • BAAL

    Porque será que a esquerda tem tanta implantação nos sindicatos ?

    O facto da direita querer reduzir a maior parte dos trabalhadores à miséria terá alguma coisa a ver ?

    Isto são perguntas tão difíceis…