Para já, apenas dois partidos políticos com representação parlamentar apresentaram propostas de legalização da eutanásia – um tema polémico que apela para a consciência individual e tem mobilizado a firme oposição da Igreja. Sobre a primeira dessas propostas, o Conselho de Ética já se pronunciou: “o Estado não pode concentrar os seus deveres na legalização e regulação de pedidos de morte”. Sobre a segunda, a Ordem dos Enfermeiros

A questão da eutanásia é particularmente polémica, e conta com a total oposição dos sectores mais ligados à Igreja Católica. Mesmo dentro dos partidos políticos – de esquerda ou de direita – a eutanásia é uma questão marcadamente da consciência individual.

O projecto de lei do PAN sobre Eutanásia foi o primeiro a chegar ao Conselho Nacional de Ética para as Ciências da Vida (CNECV) tendo sido analisado e recolhido um parecer negativo.

A análise do Conselho, publicada no ‘site’ da instituição, concluiu que o diploma do PAN “não reúne as condições éticas para a emissão de parecer positivo”.

Refira-se que o parecer do Conselho foi votado por maioria, mas não é vinculativo, apesar de ter peso pela relevância da instituição em causa.

O PAN já reafirmou, aliás, a intenção de manter o seu diploma, apesar do chumbo.

  • Leia este artigo na íntegra na edição impressa desta semana.
COMPARTILHAR
  • Miguel

    Tal como todas as iniciativas da extrema-esquerda, eles vão continuar a atacar até terem o que querem (gaysamento, aborto, etc).