Dias de brasa no sector da Saúde

0
826
saúde

A área da Saúde é sem dúvida a que mais está a desgastar o Executivo de António Costa, com os casos a sucederem-se diariamente e com o Ministro Adalberto Campos Fernandes em luta aberta com o Bastonário dos Médicos, que o acusa de faltar à verdade em relação às recentes polémicas em vários hospitais de Lisboa.

Os ataques surgem de várias unidades de Saúde, com muitos chefes de equipa a pressionarem as administrações hospitalares e o Governo, apresentando a demissão dos seus lugares em bloco.

A médica e deputada do CDS Galriça Neto foi a autora de uma das frases mais marcantes da crise na Saúde. “O CDS espera que este ano não se repita na Saúde o que aconteceu no ano passado nos incêndios”, avisou. A deputada considerou que no domínio da Saúde o “Governo falhou” e está a “revelar uma insensibilidade social perigosíssima”. Galriça Neto exige mesmo “que o Primeiro-Ministro governe”.

Já os chefes do Hospital de S. José continuam a defender a necessidade de “um plano de catástrofe” face aos problemas da urgência.

Precisamente por o sector da Saúde estar a viver tempos de brasa, António Costa aproveitou uma reunião com a Federação da Área Urbana de Lisboa do PS para sair em defesa do seu Ministro.

O líder socialista dedicou vários minutos a uma resposta às críticas de que o Governo tem sido alvo ao nível da política de Saúde, tentando estancar a hemorragia política numa área onde também muitossocialistas estão profundamente
descontentes.

  • Leia este artigo na íntegra na edição impressa desta semana.