“O mais grave na gestão camarária de Leiria é o compadrio”, afirma. Sempre polémico, Fernando Costa foi Presidente da Câmara Municipal das Caldas da Rainha durante longos anos em que pura e simplesmente revolucionou a cidade. “Apanhado” na guilhotina da limitação de mandatos – medida com que nunca concordou –, nas últimas autárquicas candidatou-se a Loures e ajudou a geriu uma Câmara ganha pelo comunista Bernardino Soares. Este ano é o cabeça de lista do PSD a Leiria. Fernando Costa respondeu a um questionário elaborado por Eva Cabral , e dividido claramente em duas partes: A Política e A Vida. Diz “ter uma convicção muito forte” de que pode ganhar Leiria.

1

É cabeça de lista a Leiria pelo PSD. Como tem visto a actual vaga de incêndios no distrito de Leiria? O que preconiza para actuação dos bombeiros?

Daqui a umas semanas, com os mortos esquecidos dos noticiários, tudo ficará na mesma: agora, é a hipocrisia política ao melhor nível. As causas e os problemas vão continuar nas próximas décadas. Também não é fácil de resolver, confesso. A desertificação do Interior e a falta de políticas florestais correctas são muito prejudiciais. Há mato a mais, e o mato é que vai continuar a matar os inocentes destas tragédias. Os criminosos, entre eles os políticos, não se vão “demitir”. Uns têm nisto, nas cenas dantescas, prazer, outros interesses económicos e outros falta de ética. Os bombeiros, jovens cheios de ideal, e os mais velhos, homens respeitáveis, merecem toda a minha admiração pelo seu heroísmo. Um dia vão desaparecer, cansados da incompetência e da falta de ética dos altos dirigentes, dos políticos e dos que vivem dos negócios à volta deste “fogo infernal”. Por que demitiram um homem altamente competente, José Manuel de Moura?

 

  • Leia este artigo na íntegra na edição impressa desta semana.