Festarolas marxistas: estamos na época da lavagem ao cérebro dos jovens

1
3962

Estamos no Verão: chegou a época das festanças da esquerda radical. Ao som de música, sem pagar um tostão de impostos (graças à infame lei do financiamento partidário), os marxistas vão dançar, ganzar e discutir “temas fracturantes” para doutrinar a juventude influenciável. No fim culmina tudo, como não podia deixar de ser, no festival do ‘Avante’, onde o PCP vai encher os bolsos para mais um ano.

Lá vão os marxistas, cantando e rindo, para a festa. Todos os anos, pelos calores do Estio, as bem-oleadas máquinas de propaganda juvenil dos partidos da esquerda radical chamam os ‘boys’ e as ‘girls’ às suas actividades de ar livre, prometendo música e alegria. E de caminho enchem a cabeça aos nossos jovens com propaganda.

As principais festarolas são organizadas pelos principais partidos da extrema-esquerda parlamentar, o PCP e o BE. E, assim, duas organizações que representam uma ideologia que é directamente responsável pela desgraça e morte de milhões de pessoas pelo mundo fora vão conquistando o voto do futuro, enquanto os partidos do centro e da direita só se preocupam com o voto presente.

Mas as actividades são mesmo muitas. O Bloco de Esquerda, por exemplo, promove esfusiantes “acampamentos”, para onde promete “filmes” e “música”, tendo também arraiais “gay” e danças “anti-racistas”. O PCP, mais tradicionalista, organiza “arraiais dos trabalhadores”, com “convívio”, “música” e “comes e bebes”, enquanto se prepara para a sua mega-festa anual: a Festa do ‘Avante’.

  • Leia este artigo na íntegra na edição impressa desta semana.