Governo gasta milhões com ‘boys’ e ‘girls’

0
1618

A moda de pagar a “consultores” e “peritos” em “avaliação de políticas públicas” para executarem o trabalho de planeamento estratégico que compete aos governantes parece ter pegado no seio do Executivo de António Costa. De tal forma que o PS, agora, não se livra da fama de usar essa “peritagem” paralela para empregar os seus ‘boys’ e ‘girls’.

Há uma semana rebentou o escândalo de Sérgio Figueiredo, que depois de ter dado a Fernando Medina um lugar de “comentador” televisivo na TVI, foi por este convidado para o cargo de “consultor estratégico” do ministro das Finanças, com um ordenado superior ao do próprio governante que o nomeou. 

No dia em que Sérgio Figueiredo anunciava que já não tomaria posse do cargo, tal fora a indignação à esquerda e à direita, soube-se que o Governo está a derreter largos milhões de euros numa estrutura de contornos indefinidos que tem por missão “avaliar políticas públicas”, seja o que for que isto significa.

Esta estrutura, designada PlanAPP (Centro de Competências de Planeamento, de Políticas e de Prospetiva da Administração), foi criada pelo Governo socialista em 2021 e estará em funcionamento até 2025, com financiamento de 12 milhões de euros garantido a 100% pelo Plano de Recuperação e Resiliência (PRR).

Dotada de mais de 60 funcionários, esta misteriosa estrutura gasta metade do seu orçamento em “consultadoria” e “serviços de informação”, parcela em que surgem como beneficiários 13 “peritos” em “comissão de serviço”. As despesas de pessoal e funcionamento somam-se ao investimento previsto, adiantava esta semana o matutino ‘Jornal de Notícias’.

Dos 11,69 milhões que recebe do PRR, 6,5 destinam-se «à contratação de serviços de consultoria, consultores externos e à formação e capacitação do PlanAPP, bem como de serviços da Administração Pública desta natureza». ■