Marta Brito

O caso dos bilhetes de futebol foi arquivado, mas o ministro das Finanças viu a sua autoridade minada em Portugal e no Eurogrupo.

Depois de semanas a averbar sucessos que o levaram até à presidência do Eurogrupo, Mário Centeno foi apanhado em mais um caso ligado à paixão pelo futebol. O ministro das Finanças tem razões para se arrepender de ter pedido dois lugares para ver, com o filho, um jogo do Benfica no camarote presidencial.

Quando o caso se tornou conhecido, o gabinete de Centeno explicou o pedido com “razões de segurança”, mas pouco depois surgiram mais notícias, e o “Ronaldo do Eurogrupo” saiu chamuscado, uma vez que se tornaram conhecidas buscas no seu gabinete do Ministério das Finanças, e de verificação dos seus emails por causa do pedido dos dois lugares no camarote.

Em todo o caso, esta é uma situação que lesa a reputação de Mário Centeno e mina a sua autoridade, não só em Portugal mas também no Eurogrupo.

  • Leia este artigo na íntegra na edição impressa desta semana.
COMPARTILHAR