Marcelo: pecados perdoados em Santiago de Compostela

0
556

Ao cumprir, na semana passada, a tradição (com 900 anos) de visitar a Catedral de Santiago de Compostela em Ano Jacobeu, o Presidente Marcelo viu perdoados todos os seus pecados – confirmou a O DIABO uma fonte eclesiástica.

O Ano Jacobeu foi instituído em 1122 pelo Papa Calisto II, que outorgou à Diocese de Santiago de Compostela autoridade para conceder o perdão integral dos pecados aos peregrinos que visitam o túmulo do apóstolo nos anos em que 25 de Julho, dia de Santiago, coincide com um Domingo, o que sucede apenas 14 vezes em cada século. Foi o caso do corrente ano. Assim, ao curvar-se como peregrino perante o túmulo de Santiago na catedral galega, Marcelo Rebelo de Sousa viu absolvidas todas as suas faltas – que os inimigos políticos dizem ser muitas.

O Presidente da República não percorreu na íntegra um dos tradicionais Caminhos de Santiago, mas tal facto não prejudicou a absolvição. Marcelo andou dois troços de um dos Caminhos, num total de 20 quilómetros. Numa primeira etapa, o Chefe do Estado fez o percurso que cruza o rio Minho, entre a portuguesa Valença e a espanhola Tui. Depois de uma parte percorrida no seu automóvel particular, Rebelo de Sousa, de 72 anos, voltou a pisar o asfalto para completar os últimos dez quilómetros até à Catedral de Compostela.

Embora a peregrinação fosse classificada por alguma imprensa como “secreta”, Marcelo foi fotografado e filmado por vários repórteres de meios de Comunicação Social portugueses e espanhóis e não se escusou a tirar as habituais ‘selfies’ com outros peregrinos. O Presidente, que vestia casualmente (calças cremes, camisa branca, camisola azul à cintura e boné), fazia-se acompanhar por apenas dois elementos do seu corpo de segurança. Em Santiago, o Chefe do Estado recolheu-se em oração junto ao túmulo do apóstolo, tirou uma última foto junto ao altar-mor e regressou imediatamente a Portugal, de automóvel.

Filho do armador galileu Zebedeu e irmão de São João Evangelista, o apóstolo Tiago (geralmente chamado Tiago Maior, para o diferenciar de outro seguidor de Jesus com o mesmo nome, conhecido como Santiago Menor) foi um dos doze discípulos de Cristo. É crença antiga que São Tiago (ou Santiago, ou Jacob, como também pode ser designado) visitou a Hispânia romana e pregou em terras que hoje são de Espanha e de Portugal, nomeadamente Braga, Guimarães e Rates. 

Martirizado no ano 44, o seu corpo terá sido transportado para a Galiza e sepultado em Compostela. No lugar dessa sepultura foi erigida, entre 1075 e 1128, uma catedral românica em sua honra, que com alterações góticas, renascentistas e barrocas é hoje um dos mais célebres santuários católicos.  ■