Política de infância do PSD ‘acolhida’ por Costa

0
6133

Para desespero da extrema-esquerda da geringonça, António Costa continua a promover a ideia de que é possível alargar os acordos com os sociais-democratas. O primeiro-ministro aproveitou o último debate quinzenal, no Parlamento, para classificar as propostas apresentadas pelo PSD na área da natalidade como “bons contributos para o debate”.

Depois de Costa e Rio assinarem com pompa e circunstância os dois acordos entre o Governo e o PSD, um sobre fundos comunitários a partir de 2020, e outro sobre descentralização, a questão da natalidade aparece como mais uma área de consensos.

Curiosamente, o líder do PSD anunciou este ‘pacote’ com o título de “uma política para a infância” um dia depois de Marques Mendes ter aproveitado o seu espaço na SIC para acusar o líder social-democrata de não se demarcar do Executivo PS através de novas ideias. Mendes chegou mesmo a considerar que, com esta política, Rui Rio aparecia como uma espécie de ‘número dois’ de António Costa, como uma muleta do governo. Esta é uma crítica recorrente que tem sido feita ao líder do PSD pelos militantes sociais-democratas que consideram que desta forma se caminha para um desaire eleitoral nas próximas legislativas.

  • Leia este artigo na íntegra na edição impressa desta semana.