Negócios milionários em TVs subsidiadas

0
753

Dois meses depois de o Governo ter presenteado alguns órgãos de comunicação social com ajudas publicitárias num total de 15 milhões de euros, dois dos principais beneficiados (a TVI e a SIC) envolvem-se num negócio milionário de transferências.

A ‘entertainer’ Cristina Ferreira, que apresentava na SIC um programa de diversões sortidas e propaganda socialista (mal)disfarçada, foi contratada pela rival TVI como directora do departamento de entretenimento e ficção e fez saber que deseja tornar-se accionista da empresa.

Cerca de 2,6 milhões de euros anuais (216 mil euros por mês) será, de acordo com a imprensa da especialidade, o salário que a estação televisiva pagará a Ferreira, que tem aproveitado a onda de popularidade para lançar negócios de roupa, calçado e perfumes. Enquanto a TVI investe, a SIC arrecada, pois a rescisão antecipada do contrato da ‘entertainer’ renderá a esta última estação a maquia de 4 milhões de euros, segundo a mesma imprensa.

Recorde-se que as empresas proprietárias da TVI e da SIC receberam em Maio último, de “presente” do Governo socialista, três milhões de euros cada uma, a pretexto de “auxílio à comunicação social” em tempo de crise.

A propósito, o líder social-democrata Rui Rio escrevera na altura na sua conta do Twitter: “15 milhões de euros de impostos para ajudar a pagar os programas da manhã e o Big Brother que voltou em força. Tanto me têm atacado por eu não compreender esta urgência democrática”. Mais cáustico e irónico, Rio comentou, já esta semana, as contratações televisivas milionárias nestes termos: “Percebe-se agora o apoio de 15 milhões de euros do Governo a este sector; realmente as despesas são muitas e a crise é grande. Aguardemos agora notícias sobre o apoio público socialista à dispendiosa contratação do novo treinador do Benfica”… 

À hora de fecho desta edição continuava por confirmar a notícia de que a mesma TVI tinha oferecido um milhão de euros ao apresentador de telejornais e autor de literatura industrial José Rodrigues dos Santos para que deixe a RTP e passe a trabalhar para aquela estação privada e subsidiada.■