O ‘spin’ feito com os pés tem destas coisas. António Costa resolveu pôr a circular que lutou até ao fim para que a Agência Europeia do Medicamento (EMA) ficasse no Porto. Mas neste caso estrambólico, em que um “conflito Norte-Sul” encobre uma guerra política que agitou a última semana, Rui Moreira desmente sem margem para dúvida: a comissão que supostamente avaliou a candidatura tinha na designação uma referência inequívoca à instalação “na cidade de Lisboa”.

O ‘spin’ de Costa é passado a ferro pelo autarca do Porto. Rui Moreira afirma ter sido uma “enorme surpresa” o facto de fonte oficial do gabinete do primeiro-ministro ter dito que este tentou que a Agência Europeia do Medicamento (EMA) ficasse no Porto, e que Costa só mudou a posição depois de a comissão da candidatura portuguesa se ter deslocado ao Reino Unido para analisar as condições de sucesso nesta corrida.

O autarca lembra que a designação desse organismo nacional é, precisamente, “Comissão de Candidatura Nacional para a instalação da Agência Europeia do Medicamento na cidade de Lisboa”. A revolta do Porto e de outras cidades do País tem sido enorme.

Refira-se que a decisão sobre a relocalização das duas agências europeias com sede em Londres só deverá ser tomada no Outono, como adiantou há dias fonte da presidência maltesa do Conselho da União Europeia (UE). O processo de decisão, que estará na agenda do Conselho de Assuntos Gerais, de hoje, na terça-feira, no Luxemburgo, passa para já pela definição de critérios para a escolha da futura localização das agências que deixarão a capital britânica na sequência do ‘Brexit’ (saída do Reino Unido da UE).

 

  • Leia este artigo na íntegra na edição impressa desta semana.