A Ministra Sorridente

0
1024

Uma onda de greves sem precedentes na Saúde quase paralisou o sector desde o arranque desta semana até hoje, sexta-feira, e demonstrou que a Ministra Marta Temido tem uma enorme dificuldade negocial.

Ao caos habitual nos serviços de Saúde acrescentou-se esta semana um surto grevista. A normalmente sorridente Ministra da Saúde tem tudo menos razões para rir, enquanto Mário Centeno já defendeu publicamente que o sector está hoje melhor do que em 2015, facto que a realidade desmente todos os dias.

As greves desta semana foram convocadas de forma cirúrgica. O primeiro dia de greve, terça-feira, foi decretado pelo Sindicato Independente dos Médicos (SIM) e o segundo dia, quarta-feira, foi decidido pela Federação Nacional dos Médicos (FNAM). Quanto aos enfermeiros, a greve foi convocada pelo Sindicato Democrático dos Enfermeiros Portugueses (Sindepor) e deverá prolongar-se até ao final do dia de hoje, sexta-feira.

Como razão para a greve, os médicos exigem que todos os portugueses tenham médico de família, lutam pela redução das listas de utentes dos médicos e por mais tempo de consultas, querem a diminuição do serviço em urgência das 18 para as 12 horas, isto entre várias outras reivindicações, que passam também por reclamar que possam optar pela dedicação exclusiva ao serviço público. Os médicos querem ainda que seja negociada uma nova grelha salarial, que indicam que já devia ter ocorrido em Janeiro de 2015.

• Leia este artigo na íntegra na edição em papel desta semana já nas bancas