Diz Não

0
692

É com muito prazer que me reencontro com “O Diabo”, no qual durante anos colaborei sem qualquer interesse material, tendo deixado de o fazer quando adoptou uma orientação, felizmente passada, com a qual não podia pactuar e que inclusivamente me hostilizou.

Desafia-me a Redacção de “O Diabo” para que regresse neste significativo 43º aniversário do jornal com uma referência ao meu livro mais recente, o romance “diz NÃO!”, editado pela “Leya”.

Escrevi este livro porque tenho o Direito de desejar um Portugal diferente, sempre com Liberdade, e procurando provar que apesar de internacionalmente se assistir à tentação pelos radicalismo ditos de “esquerda” ou de “direita”, o nosso País pode e deve encontrar uma mudança de sistema político-constitucional, num quadro democrático e de moderação.

• Leia este artigo na íntegra na edição em papel desta semana já nas bancas