Finanças desligam saúde da máquina

1
1780

Maria Costa

Várias unidades hospitalares estão a viver num clima de verdadeira balbúrdia por causa da falta de enfermeiros e outros profissionais da Saúde como médicos e técnicos especializados. Estão a ser semanas negras para a área da Saúde, e as denúncias de rupturas de serviços aumentam todos os dias.

A área da Saúde continua num caos, com o Ministro Adalberto Campos Fernandes a ser esmagado pelas Finanças que abrem a conta-gotas verbas para contratações mesmo em unidades que perderam muitos profissionais entre médicos e enfermeiros.

Depois de o ‘Diário de Notícias’ ter denunciado a situação difícil no Hospital de Santa Maria, o Sindicato dos Enfermeiros Portugueses (SEP) advertiu que além desta grande unidade de Lisboa há vários outros hospitais que poderão vir a encerrar serviços porque o Governo não autoriza a contratação de enfermeiros.

O Hospital de Santa Maria tem sofrido uma permanente sangria de enfermeiros e desde o início do ano saíram mais de cem profissionais. Consequência desta falta de profissionais: o hospital foi obrigado a fechar camas, transferir a unidade de Nefrologia para um piso com menos camas e encerrar um sector de cirurgia. Até ao momento foram apenas admitidos 49 enfermeiros, o que não dá para resolver a situação de penúria de quadros.

Guadalupe Simões, do SEP, disse que o que está a acontecer no Hospital de Santa Maria está a passar-se na maior parte dos hospitais portugueses, como por exemplo no Hospital da Cova da Beira, no Centro Hospitalar do Porto e na Unidade Local de Matosinhos.

“O Santa Maria já encerrou um serviço de cirurgia, mas prevê-se que noutros hospitais possam vir a ser encerrados serviços em resultado daquilo que é a não autorização do Ministério da Saúde e Ministério das Finanças para contratar enfermeiros”, avançou.

  • Leia este artigo na íntegra na edição impressa desta semana.