O país esclerosado pelo socialismo

0
1772

Como na Inglaterra com o Brexit, em 2016, mas por motivos diferentes e com consequências ainda muito mais danosas para a economia, nas legislativas de 2022 em Portugal, muitos dos portugueses mais idosos e com menos escolaridade decidiram prejudicar para sempre e irremediavelmente o futuro dos seus filhos e netos. A maioria deles confirmou o que as sondagens já indiciavam, ser esse o tipo de eleitores mais fiéis ao PS. Tais eleitores foram a correr em massa, ainda maior que o previsto pelas sondagens, logo pela manhã de domingo 30 de Janeiro, votar em Costa. Fizeram questão que ficasse tudo na mesma, nas mãos do PS, desta vez ainda por cima com maioria absoluta, para que os seus filhos e netos, as gerações mais qualificadas de sempre, continuem a emigrar a um ritmo galopante de quase 100 mil por ano, fugidos de um país esclerosado, estagnado e falido pelo socialismo. Autênticos refugiados económicos que por causa de Costa, dão à costa dos países ricos onde a praga empobrecedora do socialismo já há muito caiu. 

A ladainha de mentiras e promessas não cumpridas do socialismo socrático-costista-pedro nunista é o ópio já quase perpétuo e inamovível de um povo fácil e repetidamente enganado, incapaz de arejar a mente e as ideias, parado no tempo e na cauda da Europa. Sempre a votarem nos mesmos figurões inúteis e pesadões, como Edite Estrela ou Santos Silva.

Com imenso azar para as novas gerações, mas sorte para os muitos eternos fiéis eleitores do PS, muitos ainda hão-de cumprir o amanhã que canta de tantas décadas de socialismo seguidas, que até a Bulgária, um dos poucos países que ainda não nos ultrapassou economicamente na União Europeia, nos poderá ultrapassar. O ninho do socialismo promotor de pobreza e remediados apoiados pelo Estado, no qual tantos eleitores se sentem confortáveis há cinco governos de marasmo e corrupção socialista desde o início do século XXI, incapazes de largarem tal vício já velho, seca o mérito e toda a economia portuguesa. Torna o país mais decrépito e pobre de tantos jovens a emigrar para trabalhar em países onde possam ganhar condignamente e tão poucos casais a terem condições económicas para terem filhos em Portugal.

Os socialistas têm novo velho mandato dos seus fiéis acólitos de sempre para continuarem os negócios ruinosos empobrecedores do país. Muitos camaradas dos negócios estão de certo a esfregar as mãos de contentes de como vão poder desperdiçar a “bazuca” europeia sem qualquer escrutínio. Pela enésima vez vão desperdiçar para proveito próprio as esmolas sem fim da União Europeia para improdutivos. Segundo os dados da EDP acabados de divulgar acerca da origem das energias portuguesas em 2021, as eólicas, onde os agora cinco governos do partido socialista no século XXI desperdiçaram muitos milhares de milhões de euros dos nossos impostos, representam só três por cento, uma gota de água. Por causa de negócios assim, a energia cada vez será mais incomportável, afastando muitas empresas e empregos de Portugal. 

• Leia este artigo na íntegra na edição em papel desta semana já nas bancas •