Que País é este? Onde se condena o louvável e se louva o condenável…

4
1964
País, Parlamento

NUNO ALVES CAETANO

Nas últimas semanas, no seguimento do que sucede há décadas, têm vindo a público notícias que deixam estupefacto qualquer cidadão mais atento ou não conivente com as situações descritas e que levam a que questione: que País é este?

O Governo, campeão da demagogia barata, da subserviência europeia, com um PS cativo, hipotecado e manietado pelos parceiros de coligação, que por sua vez, para se manterem à tona e para poderem continuar a manipular o Partido Socialista, engolem alguns sapos, por vezes de grandes dimensões, aprova leis ou toma medidas bizarras e absurdas que nos levam a perguntar: mas que País é este?

Que País é este que fica calado perante situações como o repúdio da esquerda no poder em baixar o preço dos combustíveis? PCP e BE, engolindo o tal sapo descomunal, votaram contra a diminuição do imposto de combustíveis que permitiria baixar o preço do gasóleo e da gasolina, com repercussões positivas na economia do País e no bolso dos cidadãos.

É evidente que o PS, ciente da perda de alguns milhões de euros, eventualmente terá invocado a necessidade de verbas para as “reformas vitalícias”, para o pagamento das despesas de “deslocação” dos deputados, a manutenção da luxuosa cantina da Assembleia, do apoio aos Partidos, para o equilíbrio orçamental, etc., etc., etc. e prometido fechar os olhos a futuras propostas de lei vindas daqueles sectores com vista às negociações referentes ao próximo OE. O despudor e a falta de vergonha são totais.

  • Leia este artigo na íntegra na edição impressa desta semana.