Saco de Gatos no PSD

0
603

No PSD existe uma regra não escrita mas que em mais de quarenta anos sempre foi seguida: líder que perde umas eleições vai borda fora. Rui Rio foi desafiado por Luís Montenegro a discutir a liderança. Mas o actual líder laranja ainda não foi a nenhuma eleição, e (para além de sondagens, sempre falíveis) nada se passou que seja um pé para o PSD de Montenegro tentar antecipar o seu calendário partidário.

Rui Rio gosta de se apresentar como um resistente a climas de pressão, que não se intimida. E a forma como Montetenegro não quis sequer esperar pelas eleições europeias deu ao presidente do PSD toda a capacidade para resistir. O actual líder, eleito há cerca de um ano, recusou claramente novas eleições antecipadas e contra-atacou com uma moção de con ança que apresentará numa reunião do Conselho Nacional do partido.

O líder do PSD zurziu forte no ex-líder parlamentar. Numa declaração feita a partir do Porto, numa sala de hotel cheia de militantes, Rui Rio começou por recordar que sempre cumpriu os mandatos até ao m e que nunca participou nem participaria em “golpes palacianos” ou tentativas de enfraquecer o líder democraticamente eleito. Com duras críticas ao desa ador, Luís Montenegro, Rio anunciou que “face à lamentável situação” que se criou, será ele próprio a servir-se dos estatutos para virar o jogo para o seu lado.

Para clarificar exactamente o que espera do órgão máximo entre Congressos, frisou: “Isto é o mesmo que dizer que, se for esse o seu entendimento, o Conselho Nacional pode retirar a confiança à direcção nacional e assumir democraticamente a responsabilidade de a demitir. Se os contestatários não conseguiram reunir as assinaturas para a apresentação de uma Moção de Censura eu próprio facilito-lhes a vida e apresento no âmbito da mesma disposição estatutária uma moção de con ança”.

• Leia este artigo na íntegra na edição em papel desta semana já nas bancas