Salvar do PS os idosos

0
1629

O centro-direita tem de ser uma alternativa credível e apetecível perante o partido da perpétua pobreza e estagnação económica socialista. Para ser atractiva, a direita tem não só de se diferenciar significativamente do PS, mas conseguir desmascarar as ilusões que o PS cria e atrair grandes segmentos eleitorais da população portuguesa que votam PS, como os reformados e os funcionários públicos. Neste artigo discutimos ideias para salvarmos os mais idosos, repetidamente ludibriados pelo PS, noutro discutiremos como motivar os funcionários públicos a fugirem da prisão mental e profissional socialista.

Urge salvar os idosos portugueses da publicidade enganosa ao PS na televisão, que lhes faz tanto mal. Muitos idosos votam PS da mesma maneira e pelas mesmas razões de propaganda básica com que, enganados pelas televendas das quais são presas fáceis, compram pechisbeques e electrodomésticos esquisitos que não servem para nada e que logo se estragam, apenas lhes levando cada vez mais dinheiro da carteira. Recebem promessas falsas em troco de cada vez mais dinheiro extorquido. 

Nas noites frias e longas deste Inverno, há milhares de casais idosos eleitores do PS iludidos, que ao votarem nesse partido fizeram o melhor que podiam por si próprios. Isto apesar de estarem a tiritar de frio por não poderem acender o aquecedor e pagar a conta da electricidade (na qual se esconde a conta da RTP e tantos outros impostos para proveito dos socialistas), sozinhos por não terem consigo os filhos e netos emigrados, diabéticos por não terem dinheiro para comida saudável e assim ingerirem demasiado arroz e batatas, imobilizados por esperarem anos por uma consulta de ortopedia no SNS após quedas ou reumatismo, deprimidos por não haver psicólogos no SNS, aterrorizados por um governo negacionista da eficácia das vacinas, que mesmo após três doses lhes continuou a meter medo sem fim com o Covid-19, fechados em casa nos subúrbios das grandes cidades sem nunca poderem visitar as suas aldeias de origem, por não terem dinheiro, nem para a gasolina, nem para as portagens ou, caso já não tenham sequer dinheiro para a manutenção, seguro, impostos e inspecção do carro, devido aos preços proibitivos dos comboios da CP e da rede expressos. 

Apesar de toda esta tragédia de serem dos idosos mais pobres da Europa, e ainda por cima dos poucos europeus da idade deles que têm filhos e netos não na cidade ao lado, mas a milhares de quilómetros, noutro país cuja língua não dominam, continuam ludibriados que fizeram bem a si próprios ao votar PS. 

Cada vez que a sua reforma aumenta em 10 euros rejubilam de agradecimento ao PS e ao dr. Costa, não percebendo, claro, que estão perante um intrujão que através da inflação, dos impostos e taxas crescentes lhes tira cada vez mais dinheiro, em termos líquidos. A culpa desta trágica ilusão autodestrutiva e empobrecedora de termos mais de um milhão de idosos a votar PS não é só desses idosos enganados e maltratados pelo PS, que os usa para proveito próprio enquanto os negligência. O PS, esse sim, faz realmente o melhor para si. Na tradição socialista socrática nunca ninguém hesitou em enganar o próximo para sobreviver e prosperar política e financeiramente à custa do povo enganado. 

A culpa dos idosos serem tão flagrantemente enganados pelo PS é, principalmente, de quem na oposição não os tem defendido das mentiras e enganos do PS. De quem nunca explicou aos idosos como estavam a ser enganados, nem nunca os galvanizou para, mesmo apesar da idade avançada, almejarem e sonharem melhor para as suas décadas finais que pobreza, medo, imobilização, solidão e sofrimento psicológico e físico, causado por longas esperas de anos por consultas e intervenções cirúrgicas básicas. 

O PS perpetua-se no poder através da ilusão e mentiras contra população. O nível de sofisticação e propaganda na comunicação social socialista é muito eficaz. O povo, especialmente o povo mais idoso e crédulo, é uma presa fácil nas garras de um jogo de simulação com muitos actores que o leva a votar PS, através da propaganda herdeira do pior da humanidade, que Noam Chomsky explica bem. Quando um idoso ou uma idosa portuguesa liga a RTP, ou outro canal apoiado por Costa, para ver a novela e o telejornal, obviamente fá-lo desconhecendo por completo quem é Chomsky ou as técnicas de propaganda que ele tão bem explica e que os familiares e amigos de Costa nas televisões estatais e privadas que recebem apoios do Estado tão bem aplicam. Por isso, os idosos caem que nem patos na armadilha que o PS lhes estende para serem perpetuamente pobres, sempre a perderem poder de compra na reforma, mas acreditando que estão a receber mais do que no passado. 

O PS, através da comunicação social ao seu dispor com o nosso dinheiro (dos nossos impostos), é muito efectivo em assustar e enganar o povo que vota nele através de mentiras e contos do vigário. Como referido, o PS é especialista em aldrabar idosos dizendo que lhes dá mais 10 euros de reforma, escondendo que lhes tiram 20 em impostos sobre a electricidade e gás. Nesse sentido, não é muito diferente daqueles intrujões que vendem aos idosos pechisbeque a preço de ouro. Claro que para o um idoso traumatizado por ser engando não é fácil admitir, ou sequer perceber, que foi vítima de um saque.  Se ninguém o ajudar continua a pensar, ou auto-iludir-se, que até foi um bom negócio ficar com o fio ou o electrodoméstico que não valem nada comprados nas televendas, ou seja, votar PS. 

Pensamos que os partidos da direita têm de ter mais idosos mediáticos reais entre as suas filas, com os quais os portugueses se identifiquem, que falem directamente para os idosos com paixão e genuíno interesse pelo seu bem-estar económico e pessoal, capazes de comunicarem de maneira que percebam o quão enganados e maltratados são pelo Partido Socialista, cuja incompetência lhes leva os filhos e netos para bem longe. 

Os líderes desses partidos também têm que ter carisma e vontade de mudança e reformas profundas, precisam de ter uma garra interior. Não basta serem honestos e genuínos como Rui Rio, esse grande derrotado incapaz de desmascarar o que quer que fosse o PS era. De Rio apenas devem emular e possuir as suas principais características pessoais de honestidade e genuinidade, tudo o resto devem contrariar. O próximo líder da oposição não pode ser subserviente e compreensivo para com o PS, como Rui Rio sempre foi, tem de desmascarar o mal que o PS faz aos portugueses e a Portugal com profunda convicção. Não pode ser arrogante e pensar que está sempre certo, como Rio era, sem nunca corrigir nem admitir erro nenhum, apesar das monumentais sovas eleitorais que foi levando do PS. Um líder da oposição que proteja e ensine os idosos a defenderem-se e protegerem-se dos contos de vigário do PS tem de escutar os idosos, aparecer na comunicação social a protegê-los do PS em vez de criticar os “media” sem marcar presença forte nos mesmos. 

Em conclusão, não concordamos que por haver milhões de pensionistas e reformados em Portugal isso seja condição “sine qua non” para termos de viver décadas debaixo do jugo empobrecedor e enganador socialista. Os artistas da propaganda de televendas ao PS na RTP e outros canais não são assim tão grandes especialistas no engodo dos idosos que não possam ser desmontados. É essencial que no centro-direita apareça quem desmascare e explique aos mais velhos o quão empobrecedoras e inúteis são as vendas socialistas. ■