ENTREVISTA POR JOSÉ ALMEIDA

No passado dia 8 de Dezembro celebrou-se o centenário da chegada ao poder de Sidónio Pais. Figura pouco consensual da nossa História, continua a mover paixões, figurando entre as personalidades mais amadas e odiadas da I República. Evocando esta importante efeméride, o historiador José de Carvalho acaba de publicar a sua mais recente obra, intitulada “Sidónio Paes. Herói e ‘Mártir’ da República”. Editado pela Fronteira do Caos, este livro com mais de 500 páginas analisa a vida privada, militar e política de Sidónio Pais, sem deixar de relacionar a História com a força do mito. O DIABO entrevistou o autor. 

  • Em que contexto nasceu este teu livro, intitulado “Sidónio Paes, Herói e ‘Mártir’ da República”?

Desde os tempos de estudante que sinto um fascínio associado ao nome de Sidónio Pais. É daquelas figuras que uma certa historiografia procura ocultar e outra procura denegrir. Neste volume procurei dar réplica a essa realidade, revelando o seu nome, a sua história e o seu tempo, sem esquecer de integrar Sidónio na crueza dos anos em que lhe foi dado viver. Uma época cheia de acontecimentos marcantes para esse século XX que ainda estava a dar os primeiros passos. Em Portugal tínhamos uma I República ainda muito recente, mas já com todos os vícios de um regime velho e caduco, o que acabou por condená-la ao desaparecimento ao fim de apenas 16 anos.

  • Leia este artigo na íntegra na edição impressa desta semana.
COMPARTILHAR