Vote no PS e tenha um 2022 que merece

0
848

A proximando-se as eleições legislativas e, de acordo com as sondagens que têm vindo a público, o Partido Socialista será aquele que sairá vencedor. É possível, segundo os dados disponíveis, que somando todos os votos à esquerda, esta terá mais votos que a direita. O que depois sairá daqui, logo se vê.

No entanto, de novo o perigo está à espreita com mais quatro anos (se tudo correr bem) de governação António Costa, que já afirmou que sairá da liderança do seu partido caso perca as eleições. Resta, porém, saber o que significará para o ainda primeiro-ministro, “perder as eleições”.

Portugal tem nas mãos a possibilidade de se tornar um país diferente e ver-se livre da estagnação económica que tem sofrido. Como “a democracia é o pior dos regimes políticos, mas não há nenhum sistema melhor que ela” (Winston Churchill), teremos que nos submeter à escolha da maioria. Contudo, parece cada vez mais claro que os portugueses não são de modo algum a favor de mudanças de fundo preferindo continuar como até aqui. Ou seja, na mesma.

Na verdade, se preferem um sistema nacional de saúde onde não há médicos, porque lhes pagam mal e que “fogem” para o sector privado, se quiserem um sistema de justiça com falta de meios humanos e tecnológicos para combate à corrupção, arrastando os processos anos a fio pelos corredores dos tribunais, e se entendem ser preferível que grande parte dos nossos jovens se vejam obrigados a ir para fora, então, sem dúvida alguma, o Partido Socialista é o partido certo para merecer o voto.

Um país sem meios para a Educação, Saúde, Justiça e tantos outros sectores essenciais à vida de cada cidadão, enterra 400 euros de cada Português na TAP.

Um país que é governado por socialistas em que não se renova o mandato a uma das melhoras procuradoras que já tivemos, Joana Marques Vital, por ser incómoda; um país que é governado por socialistas mente na Europa, sobre o caso do Procurador Europeu; um país que é governado por socialistas, em que passados quase seis meses ainda ninguém sabe a que velocidade ia o carro o ministro da Administração Interna; um país governado por socialistas em que um ministro das Finanças passa para o Banco de Portugal, como se nada fosse, não é um país um sério. Nos estados modernos o cargo análogo a governador do BdP é feito por concurso público. Aliás, nos estados modernos e desenvolvidos, a transparência dos cargos públicos é levada muito a sério. 

Mas se é assim que querem continuar, então o Partido Socialista é o partido certo. 

É um pouco isto o partido que os portugueses teimam em pôr de novo à frente de Portugal. António Costa agradece porque, na verdade, é o poder que ele deseja. Grande parte da comunicação social já está controlada. Faltará ainda qualquer coisa ao número de José Sócrates, mas talvez saibamos quando o FMI nos bater de novo à porta. 

Vote PS e tenha um 2022 que merece. ■