MARIA COSTA

O caso da entrada da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa no capital da Caixa Económica Montepio Geral promete ser um dos temas escaldantes do início de 2018.

Governo e Banco de Portugal tentaram, ao longo de 2017, convencer a Santa Casa da Misericórdia de Lisboa a entrar no capital do Montepio. Enquanto o Provedor foi Santana Lopes, este fez depender uma eventual operação da existência de uma auditoria que ainda não está concluída.

Com a mudança do Provedor para Edmundo Martinho, um ‘quadro’ próximo do PS, este diz agora que a decisão do investimento da Santa Casa no capital do Montepio deverá ser tomada no início de 2018, e adianta que o processo está numa fase final da avaliação.

Ou seja: o Governo, que apregoou ter resolvido em 2017 a situação de crise da banca nacional, acaba por entrar em 2018 a tentar “salvar” o Montepio à custa da Misericórdia de Lisboa e dos contribuintes.

Este caso ainda fará correr muita tinta, pois se muitos percebem o benefício para o Montepio em ser capitalizado em mais 200 milhões de euros, quando não existe uma auditoria que proporcione uma verdadeira radiografia da situação financeira do banco, já do lado da Santa Casa não se entende qual a vantagem em termos de cumprimento do seu objecto social.

Também no início de 2018, com o retomar dos trabalhos parlamentares, o ministro Vieira da Silva e Edmundo Martinho vão ter de dar explicações aos deputados.

  • Leia este artigo na íntegra na edição impressa desta semana.
COMPARTILHAR
  • Rafael Batista

    nao e mais nem menos que as politicas do faz de conta em que o ps e useiro so nao compreendo como individos que fizeram parte do governo de socrates continuam como ministros deste governo e tudo gente sem vergonha mas se calhar enquanto povo so temos aquilo que merecemos e mais nao digo

  • Paulo Reis

    Mais uma negociata do PS, tendo como protagonistas A Costa e Vieira da Silva. Vale tudo, até esbanjar o dinheiro destinado a obras de caridade. Os bancos ao falir, devem ser pagos com dinheiro dos accionistas, não com dinheiros publicos ou, neste caso, com dinheiro destinado aos mais pobres. Vieira da Silva já está a culpar Pedro Santana Lopes, mas os mais atentos vem que está a mentir. Enquanto este esteve na SCM o negocio não era feito, foi falado mas as cláusulas que PSL impunha eram demais para o Montepio. Agora com um socialista no lugar de provedor já se fala em muito mais do dobro que era anteriormente. O Zarolho só se mete em alhadas, mas nunca com prejuizo……… nem ele nem a família, pelas noticias que são divulgadas.

  • Jason Voorhees