Preços das casas à beira de um estouro

0
809

Os preços das casas correm o risco de uma queda abrupta, depois de nos últimos anos se ter verificado uma subida desenfreada, alavancada pelo surto de turismo e pela liberalização da lei das rendas que pôs no mercado muitos imóveis.

Os alertas de estouro estão bem descritos pelo relatório “Downside Risks to House Prices”, que refere que os preços das casas já têm vindo a subir de forma mais lenta, mas correm o risco de cair abruptamente nos próximos três anos, alerta o Fundo Monetário Internacional (FMI).

O estudo passou quase desapercebido, e vem ao encontro de anteriores alertas do Banco de Portugal, que tem obrigado as instituições bancárias a serem mais restritivas na hora de emprestar dinheiro para a aquisição de casa própria.

Segundo o FMI, este abrandamento no crescimento dos preços, a sobrevalorização dos imóveis e o aumento excessivo dos créditos concedidos podem vir a prejudicar a banca e, consequentemente, a economia mundial. Para evitar este cenário, a instituição acredita que as políticas macroprudenciais e as políticas monetárias poderão ter um papel fundamental.

Acção do BdP
No que toca ao crédito concedido, já foram várias as instituições a alertar para este tópico, nomeadamente o Banco de Portugal (BdP). Em Fevereiro do ano passado, de forma a travar o facilitismo na concessão de crédito, Carlos Costa criou três limites: máximo de 90% para o rácio entre o montante do empréstimo e o valor do imóvel dado em garantia (LTV), taxa de esforço de até 50% e maturidade dos créditos de 30 anos.

• Leia este artigo na íntegra na edição em papel desta semana já nas bancas