PAULO COSTA PEREIRA

Mais uma nomeação para o Governo, mais alguém de um dos clãs políticos nacionais. Nunca se viu tamanho número de deputados, ministros e secretários de Estado que são, não apenas da mesma família política, mas também da mesma família de sangue.

Apesar de atacar sempre a direita como culpada de elitismo, é a esquerda política que mais reincidente se mostra no amiguismo político familiar. Talvez os esquerdistas nacionais devessem ponderar a mudança do nome da Assembleia da República para Câmara dos Pares da República.

Rosa Matos Zorrinho foi nomeada para o cargo de secretária de Estado da Saúde. Ainda nem a tinta nos documentos de nomeação tinha secado, e já o bastonário da Ordem dos Médicos, Miguel Guimarães, criticava a decisão. Face ao trabalho desenvolvido nas Administrações Regionais de Saúde, Guimarães considera que a escolha “não faz prever nada de bom”.

Não se pode dizer que o comentário negativo seja um bom auspício para quem inicia actividades governativas. Mas Rosa Matos Zorrinho tem o atributo principal para que António Costa a tenha nomeado: faz parte da “aristocracia” de esquerda que lidera Portugal.

  • Leia este artigo na íntegra na edição impressa desta semana.
COMPARTILHAR
  • Paulo Reis

    A incompetencia deste governo é o espelho disso mesmo. Escolhas feitas por partidarismo, não por competencias. É o que temos nesta familia xuxialista.

  • Rafael Batista

    eu diria que ja nao ha pingo de vergonha e tudo a orientar se

  • Steven Seagal