Maria Costa

Os inquilinos com perto de 65 anos de idade podem ser muito prejudicados com o ‘pacote’ para a Habitação anunciado por António Costa. A política de pseudo-protecção aos mais idosos pode vir a provocar a reacção contrária e levar os proprietários à não renovação dos contratos de quem se aproxima dessa idade.

Os avisos chegaram da Associação Lisbonense de Proprietários (ALP), que diz que as novas medidas de “protecção” de inquilinos com mais de 65 anos anunciadas por Costa são vagas e podem levar a uma corrida à não renovação de contratos.

A Associação denunciou já o que qualifica de “regresso ao congelamento das rendas e aos contratos vitalícios” para os inquilinos com mais de 65 anos.

Refira-se que quer os partidos da esquerda da geringonça, quer o próprio grupo parlamentar do PS, pela voz de Helena Roseta, apresentaram propostas cujo objectivo essencial é a implosão da reforma feita por Assunção Cristas no Executivo de Passos Coelho, e um regresso ao passado.

Mas foi a reforma da actual líder do CDS que possibilitou uma profunda mudança em Lisboa e Porto – designadamente nas zonas mais históricas – e que o mercado de arrendamento, que era até ali praticamente inexistente, reaparecesse. Em paralelo com o incremento do turismo, verificou-se um aumento de preços nos últimos anos, por desequilíbrio entre a oferta e a procura. Um desequilíbrio que a Câmara Municipal de Lisboa e a Santa Casa da Misericórdia podiam combater, já que são dos maiores proprietários de casas na cidade, com muito do parque habitacional a precisar de obras de reabilitação para poder ser arrendado.

  • Leia este artigo na íntegra na edição impressa desta semana.